18 de mar de 2008

UM CORAÇÃO QUE PRODUZ A CEM, A SESSENTA E A TRINTA POR UM



Mateus 5:3 registra claramente que, para entrar no reino dos céus, é necessário esvaziar-se no espírito: "Bem-aventurados os pobres em espírito, porque deles é o reino dos céus" (VR).


O reino dos céus é algo totalmente relacionado com o espírito, e os cidadãos do reino dos céus precisam estar no espírito. Se não estamos no espírito, a vida de Deus não cresce em nós; se vivemos apenas na esfera da alma, é impossível que a vida divina cresça em nós. No padrão do viver do reino dos céus, a primeira coisa a fazer é esvaziar-nos no espírito para receber o Espírito da realidade, o Espírito da vida, para que Ele seja nossa vida.Mateus 13 apresenta as parábolas do reino dos céus, sendo a primeira a do semeador, que mostra que o reino dos céus é totalmente um assunto de vida. As quatro condições de solo em que a semente é plantada indicam como será seu crescimento.

O primeiro tipo de solo é o que está à beira do caminho, um solo endurecido pelo tráfego constante. Esse solo indica um coração duro que impede que a Palavra penetre em nosso ser; antes, por ficar na superficialidade, facilmente vem o maligno e a arrebata. Precisamos laborar e remover a dureza do nosso coração para acolher a semente da vida.

O segundo tipo de solo é o pedregoso, com pouca terra e muitas pedras. Embora haja terra, em nosso coração ainda há muitas pedras, que não permitem que a Palavra se aprofunde e crie raízes em nós. Quando sai o sol, a planta seca. Precisamos remover as pedras do coração, pois nossa maior dificuldade é que ainda temos nele pedras muito duras. Aplicando esse tipo de solo à nossa experiência, descobrimos que ainda temos um carácter muito duro, e nossa vida natural ainda é muito resistente. Uma vez removidas as pedras, restará apenas a terra; então, o coração poderá receber a semente e ela crescerá.

O terceiro tipo de solo é aquele onde há espinhos, que crescem e sufocam a semente. Os espinhos simbolizam a fascinação das riquezas e os cuidados do mundo. Muitas pessoas não possuem o primeiro ou o segundo tipo de solo, mas não conseguem dar frutos porque são sufocadas pelos espinhos. Acaso, os cuidados do mundo e a fascinação das riquezas nos têm sufocado? Toda vez que encontrarmos essas coisas em nós, devemos queimá-las. Não caiamos na ansiedade ou na mente, ficando preocupados com o que comer, beber ou vestir, pois Deus já cuidou de todas essas coisas: nada nos tem faltado. Não podemos deixar que essas coisas provoquem ansiedade em nós.


Muitos caem nessa situação sufocante, porém não devemos mais ser influenciados por ela; antes, devemos ficar satisfeitos com o que o Senhor já nos deu até agora.

Nenhum comentário: